Talento da HTS Brazil é destaque em liga universitária dos EUA

 em Notícias

Você já imaginou ter seu nome ovacionado em um estádio lotado? Ter sua camisa na vitrine com seu nome gravado? Ser destaque do campeonato que disputa? Estes sonhos começaram a se realizar para mais um aluno-atleta da HTS Brazil: o paulista Vitor Galterio entrou na seleção da liga universitária.

Atuando pelos Hawks (Northeast CC), o meio campista natural de Pedreiras, interior de São Paulo, entrou na seleção da Conferência de Iowa (The ICCAC All-Conference). A Iowa Community College Athletic Conference é uma das 24 conferências que compõem a primeira divisão do soccer universitário nos EUA.

Entramos em contato com Galterio para saber mais detalhes, colocar o papo em dia e, claro, trazer aos futuros estudantes boleiros mais informações do mundo do futebol universitário nos EUA. Confira o bate-bola:

Equipe HTS Brazil: Qual foi sua sensação ao saber que saiu como destaque do campeonato? Qual foi a primeira pessoa pra quem você contou essa novidade?

Victor Galterio: Sinceramente, não sei explicar. Eu vi um amigo em outra conferência postando algo relacionado a isso e entrei na minha conferência por curiosidade. Não esperava estar lá. Assim que entrei no site e vi meu nome eu não sabia o que pensar. Entrei na matéria para ler se era realmente isso. Foi muito bom saber que todo esforço e treino valeu! É fora do normal saber que você está no time principal da conferência entre tantos outros atletas. Como já era tarde, falei primeiro com meus amigos e só depois com meus pais.

Equipe HTS Brazil: Vamos voltar um pouco no tempo. Você se lembra da primeira vez que parou pra pensar e decidiu: “quero ser um atleta profissional”?

Victor Galterio: Jogo futebol desde pequeno. Comecei a treinar cedo em uma escolinha chamada Santa Sofia em minha cidade com 6 anos. Sempre gostei de jogar futebol, pensei sim em jogar profissionalmente algumas vezes, porém nunca corri muito atrás para jogar em clubes brasileiros ou algo tipo. Nunca pensei que me tornaria um, mas agora que estou aqui nos EUA penso mais sobre isso e acredito que seja o que eu quero.

“Percebi que teria que ser mais maduro e disciplinado para isso”.

Equipe HTS Brazil: Quando você tomou a decisão, você mudou alguma coisa na sua rotina? O que mudou?

Victor Galterio: Após ter feito a seletiva da HTS, onde soube que eu provavelmente viria para os EUA, soube que teria que treinar muito para estar preparado. Foi quando mudei. Nunca gostei de frequentar academias ou treinar sozinho, mas eu sabia que precisava. Com a ajuda da HTS, criamos um treino onde teria que enviar feedbacks para eles, pois não havia como eu me transportar para outra cidade para ir treinar na empresa. Percebi que teria que ser mais maduro e disciplinado para isso.

Equipe HTS Brazil: Como você conheceu a HTS? Em que momento você sentiu que a HTS seria o caminho pra vc realizar seus objetivos?

Victor Galterio: Conheci a HTS em um anúncio no Facebook para a seletiva em Ribeirão Preto, SP. Assim, entrei em contato para saber mais a respeito. Após a primeira seletiva que fiz, percebi que eles [HTS] seriam o caminho. Quando realmente vi a seriedade da empresa. Depois, descobri que o Felipe [Felipe Guimarães, sócio-fundador da HTS Brazil] estudava com um amigo meu aqui nos EUA, o que nos aproximou ainda mais.

“Se não fosse pela HTS, não conseguiria acompanhá-los”.

Equipe HTS Brazil: Após o fim do ciclo de preparação e a sua aprovação no processo seletivo, quais foram suas principais dificuldades no percurso? Em especial, na sua chegada nos EUA?

Victor Galterio: As principais dificuldades foram na parte do inglês, no idioma. Porém, em relação ao esporte, acredito que a maior dificuldade foi a preparação física dos americanos, o estilo de jogo bem corrido…nunca havia visto um preparo como os atletas daqui tem. Se não fosse pela HTS, não conseguiria acompanhá-los.

Equipe HTS Brazil: O que você mais estranhou – em termos de costumes, cultura, hábitos – ao chegar nos EUA? Algum caso engraçado?

Victor Galterio: O que mais estranhei foi com toda certeza a alimentação. É totalmente diferente do que se vê no Brasil. Entre outras coisas, o modo de cumprimentar, no caso, estranham o cumprimento de mulheres [com beijo] no rosto.

Equipe HTS Brazil: Como foi sua adaptação à sua equipe? Como é o ambiente de vestiário/sala de aula?

Victor Galterio: A minha adaptação foi muito boa e não foi muito demorada, apesar de alguns americanos serem muito fechados. Outros são também muito acolhedores, diferente do que todos pensam, fora os internacionais que sempre se relacionam mais rápido.

Equipe HTS Brazil: Após começo com o pé direito – este é o primeiro ano de Galterio na Conferência – qual a expectativa para 2018?

Victor Galterio: Para o fim do ano quero focar mais nos estudos que também é necessário para estar aqui. Já para o começo de 2018, espero conciliar mais o esporte e o estudo para conseguir treinar bem e chegar em boas condições para a próxima temporada, e assim, conseguir estar no time da conferência mais uma vez.

Que tal buscar o sonho de estudar e jogar futebol em uma universidade americana?
Agende seu teste: http://htsbrazil.com.br/agende-um-teste

Últimos posts

Deixe um comentário